viernes, 20 de enero de 2017

AGRADECIMIENTOS



A las trabajadoras y trabajadores de México, que gracias ellos, tuve la oportunidad de estudiar el posgrado y vivir esta experiencia en Brasil que cambió por completo mi perspectiva y misión de vida. Me comprometo a aplicar todo este aprendizaje en nuestro país. Estoy firmemente convencida de que la reconstrucción de la sociedad reside en el pueblo…


A mi madre, Ana Cristina Pérez Orozco, por ser mi pilar y fortaleza a lo largo de mi existir. A mi padre, Martín Alonso Montero. A Laura Montero… por ser, por estar, por todo…


A mis queridos amigos… (hermanos, diría yo); Javier, Lalo, Sam y Che, por los constantes aterrizajes y comprensión. Créanme que tengo muy presente el lema de este tan prometedor 2017… “¡perspectiva!” muchísimas gracias, los quiero. A Juan Antonio Castrejón, por su apoyo incondicional durante estos 15 años de nuestra historia. A Juan Antonio Venegas, por su bondad y serenidad.


Al Dr. Jorge Ceja, por su paciencia y comprensión infinitas. Profe, no tiene idea de lo mucho que lo admiro y aprecio. Sin lugar a dudas, esto no hubiese sido posible sin usted, gracias por hacerme mirar al cielo y más allá de él. Eternamente ocupará un lugar muy especial en mi alma.


A la Dra. Martha Loza por su comprensión y honestidad. Tú fuiste una pieza clave para realizar mi estancia en Brasil. Aprecio tus observaciones y tus aterrizajes en momentos críticos… sé que de todo esto resultará un gran aprendizaje.


Al Dr. Ricardo Fletes. Meu caro carioca… muito obrigada pelas conversas e suas observações, também por me compartir suas vivências no Rio, motivou me muito de verdade! Sem dúvida nossas experiências no Brasil marcaram profundamente nossas vidas. Muito obrigada, viu?


Al Dr. Carlos Rea, le agradezco profundamente su disposición para leerme, sus puntuales observaciones y por asistir a la presentación de mi trabajo. De igual modo, por abrirme las puertas de la Universidad Autónoma de Nayarit, en donde tuve una experiencia enriquecedora y de gran aprendizaje. Doc, usted ha sido una coincidencia maravillosa en este camino llamado vida...


A la Dra. Nashieli Rangel Loera, que sin ella no hubiera sido posible conocer el asentamiento Milton Santos y la Escuela Nacional Florestan Fernandes (ENFF). También agradezco a los integrantes de la ENFF por sus aportaciones a este trabajo.


Agradeço ao professor Freddy. Você me outorgou as bases para compreender e falar português que também foram parte deste processo. Muito obrigada!


Sou muito grata com os trabalhadores do assentamento Milton Santos, graças a eles e elas minha vida mudou completamente. Admiro sua fortaleza e suas convicções de luta. Além de me abrir as portas da suas casas, me abriram seus corações. Vocês me ajudaram a me lembrar que ainda estou viva e das capacidades que tenho pra dar o melhor de mim aos outros. Saudades eternas...


Não posso deixar de agradecer à Dra. Luciana Henrique por me receber na sua casa no assentamento e também ao Zé da Mata que admiro profundamente.Ao João Nélio. Você vai ficar pra sempre no meu coração, apreendi um monte de coisa política mas também ajudou a me dar conta das minhas capacidades e do meu próprio empoderamento como mulher. Muito obrigada!



Durante o decorrer da minha estância no Brasil, tive a oportunidade de conhecer a grandes lutadores sociais que marcaram minha própria experiência política e humana. Agradeço de maneira especial: Ana, Paulinho, Fabinho, Vilma, Lucia, Rosildo, Soraia, Alex Hilsenbeck, ao Coletivo de Educação Popular Jacuba, ao coletivo Passapalavra, às lideranças de INTERSINDICAL e à família Albuquerque.




Muito obrigada, mesmo!

martes, 17 de enero de 2017

Lixo emocional.



Hoje pela amanhã vi a um dos meus melhores amigos, o Sergio. Não sei... eu adoro a ele, mas faz tempo que a gente não se fala. Somos amigos faz 14 anos, muito tempo... mas morei em Guadalajara quase 10 anos. Minhas visitas a Tepic foram só pelas férias, o seja 1 mês e meio máximo. Faz quatro meses que voltei a morar cá não é (foi) o mesmo, é muito difícil pelo menos nesta segunda volta (quando terminei minha graduação estive 7 meses, foram horríveis!)

O Sergio tem suas amizades que parcialmente também são minhas, mas elas tem maior preferência por que se freqüentam mais, isso é obvio! Minha vida mudou muito neste periodo de retorno... me senti muito sozinha.

Agora que estou na etapa final da minha apresentação de tese, quero fazer mudanças importantes... é necessário. Não quero voltar pra cidade da qual fugi... bom não precisamente fugir mas pra mim foi libertador deixar a cidade com muito atraso, sem oportunidades... sem muita coisa.

Pra mim morar em Guadalajara foi uma abertura enorme... abri os olhos impresionantemente."A perla tapatía" aquela linda cidade me fez aprender muita coisa, morei sozinha mas cresci como pessoa enormemente... aprendi muito. Lá conheci a muita gente importante pra mim, por exemplo meus amigos que estão me-deixando ficar agora na sua casa... nossa! de verdade que estou muito grata, isso é uma prova de verdadera amizade. Não pretendo dizer que meus amigos de Tepic não são importantes, eles são! e muito! mas... não sei, não gosto de morar em Tepic, nunca gostei... porra! é difícil explicar..

Faz alguns meses, uma pessoa importante (e fría como o gelo, -você I-) me disse: "acho que sua relação com Tepic é hipócrita",  sem dúvida É! é uma dicotomía que não sei responder, não tenho uma resposta...

Voltando ao tema...  pelo menos na área que gostaria de me desenvolver profesionalmente em Guadalajara é mais difícil; também em Tepic é (principalmente pela crise que atravessa a universidade local). Embora estou morrendo de medo... não sei que acontece comigo... antes durante meus anos do rock, fui muito corajosa, rebelde e mais... mas agora sou muito covarde, porra.

NÃO SEI QUE VAI ACONTECER NOS PRÓXIMOS DIAS!

Em 9 dias vou me libertar da porra da tese e depois preciso procurar um trabalho... mas quero uma atividade que goste. Nossa, morro de medo! Odeio as campanhas eleitorais... não gosto dos partidos políticos que só enganam a gente, não quero ser parte dessa mentira! quero não!

Necesito voltar a acreditar na academia, na transformação social, ajudar a ter consciencia aos jovens que o mundo e o país esta caindo a pedaços!!!; preciso que alguém acredite em mim... tenha fé em mim... preciso de uma oportunidade. Sei que não sou brilhante mas não sou uma babaca! Estou com muita vontade de apreender e fazer o melhor possível meu trabalho. Pode que seja un pouco lento por que a verdade a pós-graduação deixo muito a desejar.

Porra! Estou esgotada, minha cabeça só pensa bosta. Vou procurar dormir.

Utilizem o Google pra fazer a tradução!
Beijos pra toda a gente que gosta de me espiar.